terça-feira, 9 de junho de 2009

Surpreenda-me!

Tenho uma confissão a fazer: ainda não tinha assistido Ratatouille. Pode paracer uma confissão boba, mas quem me conhece sabe que sou aficcionada por desenhos e animações (do tipo que vai ao cinema e senta do lado de uma criança, só para não parecer uma adulta ridícula) e eu ainda não tinha tido a vontade/oportunidade de assistir. Até que um dia bateu a vontade. E eu comprei o dvd (podia ter alugado, mas quem me conhece sabe que não alugo filmes). Enfim, assisti. E agora vão minhas reflexões..


Anton Ego

Meu personagem favorito. Sua expressão ao provar o ratatouille, as lembranças da infância, a mudança que este ratatouille provocou em sua maneira de ver a vida foi demais. E a crítica dele? Maravilhosa (leia aqui)! E finalmente, a abertura para o novo. Perdeu o emprego, mas e daí? Estava feliz. Emocionei-me com o seu desprendimentto: "Surpreenda-me!"



A comida como um prazer

Em tempos que a anorexia é cultuada, ver este tributo ao comer é maravilhoso. E nisso >>> o filme me remeteu a outra obra-prima da Disney, Fantasia. Bravo!


4 comentários:

Borboletas nos Olhos disse...

Este post, assim falando de comida, me fez pensar em outro filme: "me dá, me dá batata!"

Borboletas nos Olhos disse...

Abaixo a anorexia. Viva as curvas femininas, principalmente as barriguinhas salientes!

Aline disse...

Essa foto que vc colocou por último foi de uma das minhas cenas preferidas. O Remy propõe ao irmão que prste atenção à mistura de sabores. A cena utiliza uma metáfora inusitada:imagens que lembram encontro de diferentes instrumentos, como numa música. Foi 1 detalhe que lembrei, mas é um filme fantástico!

Contra a Maré disse...

Hum... deu fome!!!
Obviamente, como demonstra minha sutil e arredia "silhoueta"... eu adoooro comer gostoso... rsrsrsrs
O filme é jóia, pena que não tem personagem secundário para entrar na minha lista... Anton, não é secundário, é paradigmático, ele funciona como uma espátula, virando o conceito do filme e traduzindo seu sentido...